19 de jun de 2008

Violência e Proteção Social

SEMINÁRIO
O Ciclo da Violência e a Rede de Proteção Social: as experiências dos Serviços de Proteção Jurídico Social e Apoio Psicológico na Cidade de São Paulo (SPJSAP)

Local:PUC SP – sala P 65

Horário: 14 às 22:00


Dia: 19/06/2008

Programação

Horário: 14h às 15h30
  • Mesa Redonda: O Ciclo da violência e a Política Pública de Proteção Especial
  • Coordenação: Emanoel – Cedeca Santo Amaro
  • Dra Joise Bacarissa -Comissão de Justiça e Paz

    Professor Flávio Crocce Caetano – Faculdade de Direito PUC/SP

    Profª Isaura Oliveira Isoldi – Núcleo de Violência PUC / SP

    Horário:

    15h30 às 16h Intervalo – café

    Horário:

    16 as 18hs
  • Mesa redonda: Dos Cedecas aos Serviços de Proteção Jurídico Social e apoio Psicológico
  • Coordenação: Eduardo Faiola - CEDECA Belém
  • Everaldo Oliveira - Coord. Associação de Meninos e Meninas de rua da Sé (CEDECA - SÈ)

    Emanuel Coord. Associação Corrente Libertadora (CEDECA –Sta. Amaro)

    Pe. Júlio Lancellotti – Bom Parto (CEDECA Belém)

    Dra. Tatiana Bolens- Justiça Restaurativa

    Prof. Neire Bruno – Assistente Social

    Horário:

    19h às 22 h
    • Apresentação da síntese dos Serviços de Proteção Jurídico e Social –
    • (Gabriel de Carvalho Sampaio)

    Coordenação:

    Prof. Dra Rosalina de Santa Cruz Leite Coord. do Núcleo de Pobreza e Desigualdade
    • A proteção Especial e o ciclo da violência; desafios da implantação dos CREAS

    Valeria Maria Gonelli - Diretora do Departamento de Proteção Especial –MDS

    • A experiência de implantação do CREAS em São Paulo.

    Ilmo. Sr. Dr. Paulo Sérgio de Oliveira e Costa(a confirmar) - Secretário de Assistência e Desenvolvimento Social da cidade de São Paulo

    • GT Comas- Represente da Sociedade Civil

    18 de jun de 2008

    Maria Gabriela Llansol


    Espaço Llansol

    Carta de Princípios

    1. O Espaço Llansol não é apenas um lugar físico, mas também o lugar real, visível e invisível, disseminado pelo Texto de Maria Gabriela Llansol.

    2. O Espaço Llansol é o lugar onde cada ser se desenvolve para o seu fim específico, espaço comum do encontro inesperado do diverso e do contrato que une todos os seres com a sua pujança própria, sem hierarquias.


    3. O Espaço Llansol é o lugar do princípio de bondade e do eterno retorno do mútuo, onde não há comunidade, não há grupo, não há clube, não há seita, não há «nós»: apenas semelhantes na diferença.


    4. O Espaço Llansol é o lugar onde não se pergunta «Quem sou eu?» (a pergunta do escravo), mas «Quem/o quê me chama?» (a pergunta do homem livre).

    5. O Espaço Llansol é o lugar onde não há resignação nem morte, lugar de vida sob o signo dos afectos, no seu triplo registo: o Belo, o Pensamento e o Vivo.


    6. O Espaço Llansol é o lugar onde escrever é o duplo de viver, e vice-versa.


    7. O Espaço Llansol é o lugar onde se busca o dom poético (o potencial de beleza à espera de ser descoberto em todas as coisas e nas suas relações) e se exerce a liberdade de consciência (que permite a cada um reconhecer-se direito e ser inteiro).


    8. O Espaço Llansol é o lugar da língua sem impostura.

    9. O Espaço Llansol é um lugar de fascínio (o que está do lado do luminoso), não de sedução (o dispositivo de submissão de todas as vozes a uma única voz).


    10. O Espaço Llansol é o lugar onde aquilo que o Texto tece advirá ao homem como destino. Esse destino é o de um humano-mais-humano, o de uma mais-paisagem do humano.


    11. O Espaço Llansol é o lugar onde o homem será, arriscando a sua identidade por um desejo de metamorfose. A esse lugar o Texto chama «espaço edénico» – não o mítico, das origens, mas o que é criado no meio da coisa, não fixo, mas elaborável por cada um de nós.


    12. O Espaço Llansol é o jardim que o pensamento permite.




    17 de jun de 2008

    Casa do Migrante



    ACNUR e parceiros celebram Dia Mundial do Refugiado no Brasil

    Acontecerão eventos por vários lugares no Brasil. Aqui em São Paulo:
    ACNUR e a FAAP promovem, pela primeira vez no Brasil, a exibiç*o de uma tenda usada em campos de refugiados, com vários utens*lios domésticos e de higiene pessoal. Dentro da tenda ser*o exibidos v*deos a situaç*o do refúgio no mundo e sobre o trabalho de proteç*o e assist*ncia desenvolvido pela ag*ncia da ONU para refugiados. A tenda ficará exposta na quadra esportiva da FAAP até quarta-feira (18/06).
    Além disto,
    o Laboratório Psicanálise e Sociedade (USP), o Nucleo de Estudos Violências: Sujeito e Política (PUC-SP) e a Casa do Migrante convidam para o "Festival dos Refugiados" a se realizar nesta quarta-feira, 18 de junho, das 16h às 19h, na Casa do Migrante, Rua Almirante Mauriti, 70, Liberdade (travessa da Rua Glicério), em comemoração à Semana e ao Dia dos Refugiados (20 de junho). Os albergados (refugiados, imigrantes e migrantes) apresentarão músicas, canções e outras modalidades culturais de seus respectivos países e regiões.

    14 de jun de 2008



    Acontecerá em Novembro, na USP, o VII Colóquio Interncional do LEPSI e o I Congresso da Rede Universitária de Estudos em Educação - Psicanálise (RUEPSY).
    A pretensão é discutir Educação e Psicanálise em torno de: acompanhamento clínico, adolescentes, o trabalho do professor, infância, ensino.
    A inscrição de Trabalhos está aberta até o mês de Agosto

    sou gente tenho direitos




    O CEDECA Interlagos lançou a campanha SOU GENTE TENHO DIREITOS em comemoração ao 18º aniversário do ECA.
    Acompanhe, participe.
    Este projeto é de todos nós.

    11 de jun de 2008

    Democracia direta e participativa






    O CEDECA Interlagos possui um espaço de Formação que é aberto ao público.
    No próximo dia 16/12, de 09 às 12:00h, está agendado:

    DIREITOS NÃO LEGALIZADOS E
    INSTRUMENTOS DA DEMOCRACIA DIRETA E PARTICIPATIVA

    com o Prof. Dr. José Luiz Solazzi (Universidade Municipal São Caetano do Sul)
    e
    Inácio da Silva (Instituto Polis)

    10 de jun de 2008

    Nova CPMF


    E quem disse que nossos nobres políticos não fazem hora-extra?
    São 22:52h de uma segunda-feira e lá estão os pobres a trabalhar:
    PARA APROVAR A NOVA CPMF. E vejam bem, o autor do Projeto é o caríssimo EX-companheiro Pepe Vargas (PT-RS) (o site é para facilitar uma análise entre o marketing e a realidade), que cria a CSS (CONTRIBUIÇÃO SOCIAL PARA A SAÚDE). Já o líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN) não tem dúvidas da contribuição de seu Partido para o progresso brasileiro: serão 70 votos a favor da bem-vinda tarifa.
    Eu me pergunto quando haverá tanto empenho para o que interessa ao nosso país, de fato.

    2 de jun de 2008

    escriba

    escrever é tarefa árdua
    pedaço de idéia boiando em mar gelado
    mil agulhas sangram a mente
    morrer assim não é rápido
    dias horas tempo sem fim
    e nada da palavra inteira
    e nunca a idéia completa
    só rabiscos inprefeitos
    gestão incompetente
    controle impossível
    de um reino inadmissível
    não escrever seria bom
    não pensar o ideal
    o ideal é pedaço de nada soçobrando
    rabiscos imperfeitos
    marcas em tabuletas de argila
    duram dias horas
    quem sabe? tempos sem fim.

    (Liliane M. A. Silva)

    .

    luz em fiapos
    rasga o cinza do dia
    verde em gramas
    limpa a lama dos olhos.

    (Liliane M. A. Silva)

    invenção de quem?

    uma caixinha de papel
    fita vermelha de enfeite.
    é de manuel.
    sob o laço, lembranças foram inventadas.
    desinventando sentidos
    não serve qualquer um.

    (Liliane M. A. Silva)

    dó em sol

    zzzzzzz
    o sol sumia
    zzzzz zz zzzzzz
    o sol voltava
    zz zzzzzzzz
    sombra de mosca em exaustos olhos.


    (Liliane M. A. Silva)

    menos

    a lassidão sempre fora boa companheira.
    deitada aos pés da cama, como cachorro a esquentar os pés do dono em noites de frio.
    mais, não queria.
    mais, não fez.
    mais, não podia.

    (Liliane M. A. Silva)

    tudo

    pensara em todos os detalhes.
    um único escapara: confirmar o destino.

    (Liliane M. A. Silva)